Dicas para quem está começando a exportar - Abracomex
Dicas para quem está começando a exportar
08/04/2020

Diante de um mercado interno apontando algumas instabilidades e observando as oportunidades no comércio exterior, as empresas estão começando a exportar. O mercado internacional apresenta boas alternativas para negócios. No entanto, para quem está começando, essa atividade não é tão simples. É necessário um conhecimento aprofundado sobre diversos aspectos e particularidades deste modelo de negócio. Precisando realizar os estudos e adaptações necessárias para cumprir as exigências deste mercado.

Podemos dizer que o comércio exterior capacita quanto a atuar na competitividade. Quem deseja começar a exportar precisa ser qualificado, inovar os seus processos e aprimorar a comunicação. Somente com uma estrutura e planejamento bem consolidado será possível aproveitar dos benefícios da exportação.

Ao entrar na atividade de exportação, começa uma nova diversificação do mercado e riscos. Com a chance de obter um perfil diferente de seus clientes e de preços com melhor retorno. No entanto, é importante compreender que iniciar essa empreitada depende de atitude, competitividade e recursos.

Aqueles que estão começando a exportar precisam de informações importantes para o processo. Que poderão ser encontradas aqui neste artigo em formato de dicas! Aproveite e boa leitura.

Começando a exportar: empreender no comércio exterior

A nova oportunidade para expandir os negócios e aumentar o mercado é tentadora. No entanto, é muito importante estar preparado para os desafios que serão apresentados. Tendo o empenho e planejamento assertivo, o empreendedorismo estará consolidado e com forte propensão para voos altos.

Um dos primeiros passos antes de se aventurar no mundo da exportação é analisar o seu público e região. Certamente, são estratégias já utilizadas dentro do mercado interno. No entanto, a complexidade está na mudança de cultura, hábitos e valores. Sendo muito importante o estudo aprofundado.

Existe um caminho a ser percorrido para quem está começando a exportar. Para isso, é preciso estar ciente de alguns degraus que possam impulsionar esse início. 

O governo por meio de estímulo de políticas governamentais possibilita uma maior competitividade no mercado externo. Garantindo uma melhora na economia brasileira. Os benefícios compensatórios das dificuldades são: redução de tributos, preços mais rentáveis e diversificação de riscos.

O que é preciso saber?

Antes de nossas dicas, gostaríamos de passar alguns pontos relevantes para conscientização sobre o processo de exportação. A atividade está moldada diante de diversas variáveis não tão presentes no mercado interno. Como por exemplo:

  • Taxa de câmbio;
  • Cenários internacionais;
  • Concorrência ainda desconhecida;
  • Legislação e normas de outros países;
  • Cultura diferente de negociação;
  • Formas de vendas e hábitos de consumo distintos;
  • Logística de distribuição;
  • Regimes aduaneiros;
  • Níveis de preços.

Para entrar dentro desse mercado, é preciso realizar uma análise minuciosa desde a capacidade em exportar até a satisfação do cliente. Mesmo antes de começar as dicas, já adianto uma muito importante. Busque cases de sucesso e experiências de fracassos, elas são fundamentais para conhecer e analisar o mercado.

Assim como dentro do mercado interno, é preciso mais do que nunca realizar um plano de trabalho. 

Começando a exportar: dicas para o início

Motivos são inúmeros para iniciar novas perspectivas no mercado. Com o olhar promissor ao comércio exterior, é importante estar atento a alguns passos e dicas. Separamos aquelas que consideramos principais para que obtenha o sucesso desejado.

  • Tenha habilitação: para iniciar as atividades com exportação é preciso ser habilitado no Sistema Integrado de Comércio Exterior (Siscomex). A habilitação é atestada por um exame prévio. Destinado aos profissionais que desejam desempenhar atividades no comércio exterior. 
  • Participe e desenvolva treinamentos: o conhecimento e uma equipe coesa são pontos cruciais para o sucesso na exportação. Invista em treinamentos voltados a negociações, comunicação e relacionamento. São ações que promovem um aumento na confiança e segurança diante do cenário apresentado. Podendo construir de forma sólida as negociações.
  • Invista em conhecimento: trabalhar com exportação requer um estudo contínuo dentro da área e dos mercados. Com foco no sucesso, é preciso ter domínio quanto a formação de preços de exportação. Agregando fatores colaterais como: tributos, fitossanitárias, regras de origem, dentre outras.
  • Antecipe os riscos: os riscos são apresentados rotineiramente em qualquer negócios. Ao falar em exportação eles podem estar com maior frequência e de forma mais complexa. Considere os riscos presentes quanto aos entraves burocráticos, logísticos, culturais e documentais. Fatores que podem minar a sua estratégia em exportar.
  • Tenha atenção e investimento para logística: ao trabalhar com exportação presenciará as mais diversas modalidades de logística. Podendo ser envios pelos Correios ou diversos tipos de transportes. A logística interfere diretamente nos resultados e sucesso dos negócios.
  • Oportunidade dos momentos propícios: a instabilidade na economia interna ou a desvalorização do real podem ser pontos motivacionais para impulsionar a exportação. Isso porque os produtos nacionais tornam-se atrativos para o mercado internacional. Ao perceber esses momentos propícios, faça os investimentos necessários para aumentar o mercado. Colocando a empresa dentro da atividade de exportação.
  • Análise do mercado: nenhuma ação no mercado externo acontece do dia para noite. A exportação deve estar prevista no plano de negócio da empresa. O empreendedor precisa realizar uma análise quanto ao país pretendido para o negócio. Entender as relações comerciais, os regimes aduaneiros, o sistema tarifário e toda a estrutura tributária. Somente com uma análise bem fundamentada pode preparar as ações para um bom atendimento ao mercado.
  • Análise do produto: o produto ou serviço a ser distribuído pode ser de alta qualidade. No entanto, precisa atender às normas técnicas referente ao país de destino. É recomendado um estudo e análise, podendo ter por base o Programa de Apoio Tecnológico à Exportação (Progex). A forma de apresentação e divulgação também são aspectos essenciais para a negociação rápida e assertiva. Toda a informação pertinente deve ser colocada de forma clara (detalhes técnicos, imagens reais e histórico da empresa).
  • Análise do cliente: esse é um conceito já praticado dentro do mercado interno. No entanto, ao lidarmos com o exterior, estamos diante de histórias e valores diferenciados. Desta forma, os hábitos de consumo e experiência do cliente serão diferentes do que estamos acostumados. O empreendedor somente conseguirá bons negócios se souber com quem está lidando. Aprofunde seus conhecimentos no país pretendido.
  • Análise a concorrência: essa análise já faz parte de todo o estudo de mercado. É muito importante ter o conhecimento preciso quanto a demanda, o público-alvo e a concorrência. Identificando as dificuldades no ramo e as ações de sucesso.
  • Adapte o setor de vendas: sua equipe de vendas é o seu cartão de visitas. A partir do momento em que entra no comércio exterior, os seus clientes também mudam. Os hábitos são diferentes, assim como o idioma. Os profissionais de venda também precisam virar a chavinha para o mercado internacional. Desenvolvendo o aprendizado em nova língua e profundo conhecimento quanto aos hábitos. 
  • Busque as parcerias de negócios: por maior que seja a empresa no Brasil, ela pode chegar como desconhecida dentro do mercado internacional. Com foco na potencialização de vendas, firme parcerias com empresas locais, trazendo maior legitimidade para a exportação.

Preparados para começar a empreender no exterior?

Os pontos passados por este artigo são a base para quem está começando a exportar. Análises, estudos e domínio em áreas são ações importantes para consolidar a empresa para o mercado externo.

O início do processo de exportação requer segurança quanto a qualificação de pessoal, prazos de entrega, qualidade de produto e atendimento. Além de adaptações técnicas, logística estruturada e competitiva, conhecimento de aspectos legais específicos. Sem esquecer dos formatos distintos de vendas e culturas para negociação diferenciadas.

As dicas apresentadas são a base do conhecimento. Para ter um preparo completo, apresentamos um passo a passo para iniciar na exportação. Uma aula baseada no Manual de Gestão do Comércio Internacional. 

Direção,

Marcus Vinicius Franquine Tatagiba.

Assine nossa newsletter!

Aceito a Política de Privacidade
Aceito receber informativos por e-mail, SMS e WhatsApp.