Clique Aqui! Fale Conosco Agora.

Exportações de Sorocaba crescem 40% em janeiro
12/03/2018

A balança comercial sorocabana apresentou em janeiro alta nas exportações e importações na comparação com o mesmo mês do ano passado.

No último mês, as exportações cresceram 40,14% e as importações tiveram leve alta de 0,11% em relação a janeiro de 2017. Os dados são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic).

As exportações de empresas da cidade somaram R$ 83,8 milhões e as importações chegaram a R$ 180,8 milhões. Desta forma, a balança comercial sorocabana foi deficitária R$ 96,9 milhões. Essa situação é usual na cidade, que tem característica industrial. Os componentes e insumos são comprados do exterior para uso nas indústrias e seus produtos finais são vendidos no mercado interno ou exportados.

O maior mercado de exportações para a cidade em janeiro foi a Argentina, que rendeu R$ 37,4 milhões, representando 44,64% do total. O Peru aparece na segunda colocação, responsável por R$ 6,6 milhões (7,88%); seguido pelos Estados Unidos, com R$ 6,5 milhões (7,86%); Paraguai, com R$ 5,4 milhões (6,50%); e Alemanha, R$ 4,5 milhões (5,40%). Os produtos mais exportados por Sorocaba foram os automóveis, máquinas agrícolas e partes ou acessórios para veículos.

Em relação às importações, a maior parte veio da China. A cidade importou R$ 67,4 milhões do país asiático, o que correspondeu a 37,31% do total no mês. A Alemanha figura na segunda colocação, com R$ 20,44 milhões em importações (11,30%); o Japão ficou em terceiro com R$ 12,39 milhões (6,85%), seguido pela Malásia com R$ 12,33 milhões (6,82%) e os Estados Unidos com R$ 11,9 milhões (6,58%). Os produtos mais importados foram máquinas para impressão, partes ou acessórios para veículos e circuitos ou microconjuntos eletrônicos.

Para o diretor regional do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Erly Domingues de Syllos, os resultados refletem a perspectiva de melhora para a economia em 2018. “A previsão é de um ano consistente de crescimento”, afirma. Ele avalia que se a política nacional não atrapalhar, o ano será de melhora, ainda que comedida. O diretor observa que outros indicadores contribuem para essa perspectiva, como a geração de empregos na indústria (saldo positivo de 350 empregos na região em janeiro, conforme aferido pelo Ciesp), além da queda da inflação e da taxa Selic.

Na comparação com dezembro de 2017, as exportações tiveram queda de 33,62% e as importações apresentaram alta de 10,11%. O diretor aponta que esse tipo de oscilação ocorre, pois cada mês tem sua tendência e características. Os dados dos últimos anos da balança comercial apontam que, usualmente, janeiro tem resultados menores de importação que os de dezembro.

Assine nossa newsletter!