Marcos Pereira afirma que alta na exportação e importação mostra retomada do crescimento - Abracomex
Marcos Pereira afirma que alta na exportação e importação mostra retomada do crescimento
07/07/2017

Resultados positivos fez com que o MDIC aumentasse a projeção de superávit para US$ 60 bi.

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, comemorou o resultado recorde da balança comercial no primeiro semestre. Em vídeo, ele ressaltou que o saldo positivo de US$ 36,219 bilhões da balança comercial permitiu a revisão da projeção oficial para o ano, divulgada nesta segunda-feira (3) pela pasta, que passou de US$ 55 bilhões para US$ 60 bilhões. Se confirmado, esse será o maior resultado da história.

“O aumento nas exportações e importações mostra a clara retomada do crescimento econômico do Brasil. Estamos trabalhando para gerar empregos”, afirmou o ministro, que está em Madri, na Espanha.

A balança comercial brasileira encerrou o primeiro semestre com superávit de US$ 36,219 bilhões, o melhor resultado para o período da série histórica, que tem início em 1989. O montante foi alcançando principalmente com a alta de 19,3% nas exportações. As importações cresceram 7,3% no mesmo período.

Balança Comercial de junho tem melhor resultado para o mês desde 1989

O recorde anterior foi registrado no ano passado, quando a balança teve superávit de US$ 47 bilhões. “A tendência é continuar o ano com superávits fortes e esperamos esse resultado recorde para o ano”, afirmou o diretor do Departamento de Estatística da pasta, Herlon Brandão.

Além da alta nos preços dos principais produtos da pauta exportadora, que vinha sendo registrada até maio, em junho houve ainda melhoria na quantidade exportada, que acumulou crescimento de 1,8% no primeiro semestre.

Isso se deve, principalmente, ao crescimento nas vendas de produtos como soja, que teve safra recorde neste ano, petróleo e minério de ferro. Brandão destacou também o aumento das exportações de automóveis e celulose. No semestre, o crescimento nas vendas foi mais forte em produtos básicos (27,2%), seguido de semimanufaturados (17,5%) e manufaturados (10,1%).

Já a importação continua com aumento na quantidade (2,9%) e nos preços (4,2%) no semestre. “O aumento da importação mostra melhoria do cenário nos últimos meses”, afirmou o diretor.

Fonte: R7

 

Assine nossa newsletter!

    Aceito a Política de Privacidade
    Aceito receber informativos por e-mail, SMS e WhatsApp.
    Precisa de Ajuda?
    Fale Conosco!