Quais são os maiores importadores do Brasil? - Abracomex
Quais são os maiores importadores do Brasil?
20/02/2020

Uma das principais operações que influenciam diretamente a economia de um país, são as parcerias dos países que compram nossos produtos, eles são fundamentais na nossa economia. Entender a dinâmica das importações e exportações é essencial para análise do mercado e tomadas de decisões. Neste artigo, iremos apresentar os maiores importadores do Brasil, os principais parceiros que compram nossos produtos, sejam manufaturados ou agropecuários. A pretensão para os próximos anos é um elevado crescimento de nosso mercado externo. Por esta razão, devemos conhecer os principais importadores de nossos produtos.

O governo tem investido consideravelmente em políticas e incentivos para impulsionar a nossa representatividade na concorrência. Foi lançado o Novo Processo de Exportação levando agilidade nos processos quanto as negociações internacionais. Confira mais informações no texto abaixo. 

Maiores importadores do Brasil

As exportações de 2019 foram de US$ 225.383,5, uma queda de 5,8% comparado a 2018. Já as importações foram de US$ 177.347,9, uma queda de 2,1% do ano anterior. Mesmo assim, tivemos um superávit de US$ 48.035,55.

As variações no mercado são influenciadas diretamente por ações políticas e econômicas, não só do Brasil, mas de todo o mundo. Como exemplo, em 2019 ocorreu uma manifestação em países Europeus para boicote de produtos brasileiros. A motivação foi dada por conta das queimadas na Amazônia, fato que gerou mobilização global. Mesmo assim, a Europa tem quase 9% de participação em nossas vendas.

Profissionais voltados para o comércio exterior, precisam ter em mente os principais mercados do país. Ou seja, os maiores importadores do Brasil para focar o seu trabalho no desenvolvimento de negociações. Uma forma de identificar se a empresa está no caminho certo.

De acordo com informações do Comexvis, os principais parceiros do Brasil no ano de 2019 são:

IMPORTADORVALOR FOBParticipação
ChinaUS$ 63,36 Bilhões28,1%
Estados UnidosUS$ 29,72 Bilhões13,2%
Países BaixosUS$ 10,13 Bilhões4,49%
ArgentinaUS$ 9,79 Bilhões4,34%
JapãoUS$ 5,43 Bilhões2,41%
ChileUS$ 5,16 Bilhões2,29%
MéxicoUS$ 4,9 Bilhões2,17%
AlemanhaUS$ 4,73 Bilhões2,09%
EspanhaUS$ 4,04 Bilhões1,79%
Coreia do SulUS$ 3,45 Bilhões1,53%

Os principais mercados de exportação do Brasil tiveram em 2019 um bom desempenho, apesar da queda. China, Estados Unidos e União Europeia ainda permanecem como os maiores importadores do Brasil. E apesar da crise, a Argentina também continua sendo nosso principal parceiro da América Latina. 

Acordos Internacionais

As previsões favoráveis para a exportação brasileira são também um reflexo quanto às parcerias comerciais realizadas pelo país. Uma relação mútua e estratégica entre dois países com o objetivo de beneficiar a ambos. 

Os acordos internacionais possuem como meta o crescimento do fluxo comercial. Podendo ser promovido por facilitações das operações, tanto das importações como exportações. Como também a diminuição das tarifas quanto aos processos.

Possuir um bom relacionamento com os países auxilia na possibilidade de ampliar os diferentes mercados. Assim como, poder participar de negociações e redução de tributos. Ações que dependem de um plano de governo com foco no incentivo do comércio exterior. 

Atualmente, o Brasil possui acordos que garantem isenções tarifárias e aumento da competitividade. Sendo algum eles:

  • Preferência Tarifária Regional entre países da ALADI (PTR-04);
  • Brasil – Uruguai (ACE-02);
  • Brasil – Argentina (ACE-14);
  • Mercosul (ACE-18);
  • Mercosul – Chile (ACE-35);
  • Brasil – México (ACE-53);
  • Mercosul – México (ACE-54);
  • Automotivo Mercosul – México (ACE-55);
  • Mercosul/ Índia;
  • Mercosul/ Israel;
  • Mercosul/ SACU;
  • Mercosul/Egito.

O que os principais países mais importam?

Entendendo que todos os países precisam um dos outros para suprir as suas necessidades, as parcerias comerciais são realizadas. O Brasil possui uma boa reputação no mercado externo, com grande destaque para a soja, minério de ferro e carne.

China

A China é o principal importador de produtos brasileiros. Por esta razão, qualquer instabilidade que influencie a China reflete automaticamente em nossa exportação. Como por exemplo, o Governo já anunciou que o novo coronavírus pode desfavorecer a exportação nesse início de 2020.

Os principais produtos importados pela China são: soja, minérios de ferro e óleos brutos de petróleo. Eles ainda importam carros e carnes de aves.

Estados Unidos

Os Estados Unidos é um de nossos maiores parceiros comerciais, sendo o segundo maior importador. Desta forma, a sua colocação política e as movimentações econômicas refletem não só em nossa balança comercial, mas de todo o mundo. Exemplo recente temos da guerra entre Estados Unidos e China, influenciando negativamente todo o mercado externo.

Entre os principais produtos importados pelos Estados Unidos há: aviões, semimanufaturados de aço ou ferro e óleos brutos de petróleo.

Países baixos

Este é o nosso primeiro representante da Europa, estando presente com quase 9% na participação de nossa exportação. Ocupam, atualmente, a 8ª maior economia de exportação no mundo.

Dentre os produtos importados há: tubos flexíveis de ferro ou aço, farelo e resíduos de extração de soja e minério de ferro.

Argentina

A Argentina é nosso principal parceiro da América Latina, apesar da crise, sustentaram acordos com grande representatividade. Mobilizando a sua participação como parceira comercial do Brasil. 

Os principais produtos que a Argentina importa são: veículos de cargas, automóveis e peças para veículos (carros e tratores).

Japão

As parcerias comerciais entre Japão e Brasil tem promovido um favorecimento para a importação de nossos produtos. Em 2019, o país superou os Emirados Árabes e Arábia Saudita passando para o segundo maior importador de carne de frango. Uma grande representatividade para nosso mercado.

Além da carne de frango, os principais produtos importados são milho e minério de ferro.

Chile

Outro importante importador da América Latina é o Chile. O acordo comercial firmado entre os países possuem o objetivo de impulsionar investimentos. Além de promover uma proximidade do país junto ao Mercosul. Nos últimos anos, o Brasil foi o principal parceiro comercial do Chile. 

Entre os principais produtos brasileiros importados foram: Automóveis, carne bovina e óleos brutos de petróleo.

México

Em 2019, tivemos a retomada do livre comércio de veículos entre os países. Uma ação que favorece o governo brasileiro a ampliar o acordo para outros setores. Uma parceria que tem aumentado muito a representatividade, podendo ser um ótimo mercado para o Brasil.

Os principais importados são automóveis, semimanufaturados de ferro ou aço e motores de veículos.

Alemanha

Entre os países da América Latina, o Brasil é o principal parceiro comercial da Alemanha. Representando a União Europeia, é um dos maiores importadores do Brasil. Os dois países possuem uma parceria estratégica com estreita cooperação econômica. 

Entre os principais produtos importados pela Alemanha há: minério de cobre, farelo e resíduo de extração de soja e café. 

Espanha

A Espanha defende junto ao Brasil um acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia. Essa medida favorece estrategicamente o favorecimento do Brasil no comércio exterior.

A Espanha importa do Brasil soja, milho e óleos brutos de petróleo.

Coréia do Sul

A Coréia do Sul tornou-se recentemente o terceiro maior país importador de produtos brasileiros da Ásia. O mercado está em expansão e há fortes estudos para ampliação das relações comerciais entre os países.

Os principais produtos brasileiros importados são: minérios, soja, milho e algodão.

Conclusão

Conhecer os maiores importadores do Brasil e seus principais mercados é uma forma de entender o campo de atuação. O acompanhamento das variáveis e das colocações mensais e anuais devem ser rotina para os profissionais de comércio exterior.

O conhecimento é o primeiro passo para o sucesso. Compartilhe esse artigo com seus colegas, incentive novas estratégias. 

Direção,

Marcus Vinicius Franquine Tatagiba.

Assine nossa newsletter!

Aceito a Política de Privacidade
Aceito receber informativos por e-mail, SMS e WhatsApp.