Quarentena interfere em calendário de feiras e alavanca eventos online
Quarentena interfere em calendário de feiras e alavanca eventos online
02/09/2020

Enquanto alguns setores iniciaram retomada de atividades e somam prejuízos causados pela quarentena decorrente da pandemia do novo coronavírus, as feiras e eventos comerciais seguem como uma área a ser discutida em todo o planeta. Como não existe uma previsão concreta sobre liberação para viagens e aglomerações em espaços fechados, muitos eventos recorreram a versões online a fim de amenizar o prejuízo.

Esse movimento aconteceu, por exemplo, com as feiras Coterie e Children’s Club, ambas nos Estados Unidos ou com a Micam, cujas edições de Milão e Estados Unidos também viraram eventos online. A NuOrder e a Sourcing at Magic fizeram o mesmo movimento.

Empresas brasileiras ganham espaço em feiras de joias dos EUA

A JCK & Luxury foi outra feira a montar uma edição totalmente online. O maior evento de joias do planeta aconteceu em agosto e contou com participação de 25 empresas brasileiras.

“É uma ação nova para o setor. Uma maneira diferente de expor nossos produtos e interagir com os nossos clientes. O que despertou o grande interesse em nosso trabalho talvez seja o fato de o designer brasileiro ter coragem em abusar das cores, misturando as gemas e criando uma joalheria ousada e dinâmica”, disse Roseli Duque, presidente da Guilherme Duque Joalheiros, que esteve no evento.

“A participação na JCK Virtual 2020 nos trouxe a segurança de que nossos produtos e design têm espaço no mercado dos Estados Unidos e, principalmente, no latino-americano”, completou Tiago Ferraz, diretor comercial da Pelle Gioelli.

A JCK tradicionalmente é uma feira anual realizada em Las Vegas (Estados Unidos). A edição deste ano foi a primeira inteiramente online.

Brasil terá 15 feiras internacionais de alimentos e bebidas em 2021

Diante de toda a instabilidade do segmento, a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimento) anunciou em julho o cronograma de feiras internacionais que o país deve receber em 2021. Serão 15 eventos de alimentos e bebidas, por exemplo.

A programação inclui eventos de alimentos orgânicos, alimentos e bebidas do Oriente Médio, vinhos, alimentos e bebidas para o mercado japonês, e até um evento focado no mercado russo. Ainda não existe uma definição sobre quais dessas feiras acontecerão em formato físico.

Pesquisa mostra que a pandemia afetou 98% das feiras e eventos

Um levantamento realizado pelo Sebrae em julho apontou que 98% das feiras e eventos do Brasil em 2020 tiveram de lidar com efeitos negativos causados pela pandemia do novo coronavírus.

Segundo a pesquisa, 34% dos empresários conseguiram devolver dinheiro ao contratante e 35% contaram com crédito para negociar futuramente.

Em abril, o segmento teve redução média entre 76% e 100% do faturamento em comparação com igual período do ano anterior. Além disso, pelo menos 15,5% investiram em novas tecnologias e 17,2% gastaram com qualificação de seus profissionais.

“O problema que afeta um afeta a todos. Se o evento não acontece, os hotéis não serão ocupados, os restaurantes não serão utilizados, o transporte não será ativado. Tem que haver uma união de todos os players para que a retomada dos negócios seja feita com tranquilidade”, disse Abdala Jamil Abdala, presidente da Francal Feiras, em entrevista ao portal do “Transamérica Expo Center”.

Direção,
Marcus Vinicius Tatagiba

Leia mais:

O que é ESG e por que essa sigla faz diferença no comércio exterior
Por que você deve conhecer planos de incentivo antes de vender fora do país
Você sabe o que é Comex 4.0? Por que você precisa conhecer o conceito

Assine nossa newsletter!

Aceito a Política de Privacidade
Aceito receber informativos por e-mail, SMS e WhatsApp.
Precisa de Ajuda?
Fale Conosco!