Soja é o item mais exportado pelo Brasil. Você sabe o que isso significa?
Soja é o item mais exportado pelo Brasil. Você sabe o que isso significa?
27/07/2020

A soja será o item mais exportado pelo Brasil em 2020, e esse será o sexto ano consecutivo em que o grão lidera o volume de vendas internacionais do país. Mas você sabe o que significa essa predominância no mix de comercialização nacional?

O principal ponto é que o Brasil tem fracassado em tentativas de diversificar suas exportações. A despeito de investimentos diversos do país nos últimos anos para modificar o mix de vendas internacionais e oferecer mais produtos a outras regiões, a composição da tabela de comercialização mudou pouco.

A composição do mix de exportações do Brasil é preocupante porque o país vende basicamente commodities de pouco valor agregado. Ou seja: para equilíbrio da balança comercial, é preciso que o volume de exportações seja muito maior.

Por que a soja é um produto tão vendido pelo Brasil

Há diversos fatores que justificam a estabilidade da soja como produto mais exportado pelo Brasil. Um deles é a condição de cultivo – o país tem espaço e clima adequados ao plantio do grão.

Também pesam o lobby político em torno da soja e o câmbio favorável. Como o real está desvalorizado em comparação com o dólar, mercados internacionais – a China, principalmente – têm vantagem de comprar do Brasil.

Soja não está sozinha na composição de exportações do Brasil

As dez primeiras posições de itens mais exportados pelo Brasil em 2020 são ocupadas por commodities. Novamente, a composição reflete um fracasso do país em tentativas de melhorar sua oferta internacional.

O setor agropecuário do Brasil foi o menos afetado pela pandemia do novo coronavírus. Enquanto a crise internacional reduziu negócios de manufaturados, vendas de commodities se mantiveram estáveis. Em outras palavras: a quarentena pode ter feito países comprarem menos veículos ou objetos, mas as pessoas seguiram comendo.

Números da soja brasileira em 2020

Até a terceira semana de julho, segundo a AEB (Associação de Comércio Exterior do Brasil), o país exportou 66,5 milhões de toneladas de soja. A projeção feita pela própria entidade era de um total de 78,5 milhões de toneladas no ano todo.

A receita do Brasil com exportação de produtos básicos deve recuar 7,2% em comparação com 2019. Ainda assim, a expectativa da AEB é que produtos como soja, petróleo e minério de ferro aumentem sua representatividade em 34% na composição dos itens comercializados pelo país.

Direção,
Marcus Vinicius Tatagiba

Leia mais:

O que o Brasil pode aprender com a crise econômica da Argentina
Brasil ajusta balança comercial e prevê superávit de US$ 47,466 bilhões em 2020
Agronegócio do Brasil bate recorde em meio à pandemia

Assine nossa newsletter!

Aceito a Política de Privacidade
Aceito receber informativos por e-mail, SMS e WhatsApp.